Se você não está disposto a ter uma presença online da maneira certa, nem perca tempo.

O texto abaixo foi traduzido com permissão do autor, Nicolas Cole.

 

O mundo das redes sociais não é pra qualquer um.

Eu sou diretor de redes sociais na Idea Booth, em Chicago. Já cuidei de contas de redes sociais de grandes e pequenas empresas, bem como de alguns influenciadores digitais. Já escrevi em blogs. Já fui escritor-fantasma. Já fui fotógrafo, diretor de criação e analista de Facebook Ads.

Venho fazendo isso desde a minha adolescência. Antes do Facebook sequer existir, eu tinha um dos blogs de games mais lidos da Internet. Pouco tempo atrás, eu atingi a marca de 10.000.000 de views no Quora. Tenho mais de 20.000 seguidores no Instagram, e já publiquei artigos em vários dos maiores sites editoriais da Internet: Time.com, Forbes.com, Fortune.com, The Huffington Post, Business Insider, entre outros. E eu já trabalhei na estratégia de crescimento de vários YouTubers e influenciadores de mídias sociais.

Você quer saber o que eu aprendi depois de tudo isso?

Se você não está disposto a ter uma presença online da maneira certa, nem perca tempo.

 

Eu fico surpreso como as pessoas insistem em dizer “Pessoal, nós precisamos de mais seguidores no Instagram”, ou “Precisamos criar uma conta no Snapchat. Todo mundo está usando Snapchat”.

Por que? Por que você precisa estar no Snapchat?

É lá que os seus clientes estão?

Você vai gerar valor pra ele de alguma maneira?

Você tem os recursos necessários para manter esse valor a longo prazo?

Deixa eu explicar, de maneira simples, como a mídia social funciona:

A mídia social é como um ventilador – aquela coisa que você coloca no quarto, no verão, quando tá quente lá fora. Quanto mais você posta, mais o ventilador gira e refresca o quarto. Se você não postar, o ventilador para. E quando um ventilador para, ele não tem mais utilidade, então você joga ele fora e compra um ar condicionado.

Esse é o problema número 1. As pessoas pensam em ferramentas de redes sociais como uma “campanha”. Eles pensam, “OK, vamos ser muito, muito ativos por um tempo, e então eventualmente chegaremos em um ponto onde não precisaremos nos esforçar tanto assim”.

Errado.

Se você parar, seus seguidores vão embora. E, pra falar bem a verdade, quanto maior você for, mais você tem que trabalhar para manter o nível onde chegou.

Problema número 2 (muito importante): o tipo de conteúdo que você publica determina se o seu ventilador (sim, voltamos pra essa metáfora) ventila um ar fresco, útil e agradável, ou um ar abafado com cheiro do interior de um avião.

Pense em quanto material existe disponível na Internet. Eu poderia visitar sites de carros esportivos, modelos atraentes, procurar o que Kanye West falou na TV que causou um burburinho… Eu poderia assistir Justin Bieber caindo no palco, Donald Trump falando alguma besteira, um amputado levantando 90 kg, ou isso, ou aquilo… a lista não tem fim.

Você realmente acha, então, que alguém se preocupa com seus dois funcionários sorrindo em frente a um banner mal desenhado, com uma foto que é tão mal iluminada que não dá pra saber se é um homem ou uma mulher, ou duas mulheres, ou qualquer coisa do tipo e que diz “Funcionários do mês!

E ainda acha que está arrasando quando a empresa, marca ou agência que publica esse terrível conteúdo diz “Ótimo! As pessoas adoram conhecer quem está por trás da marca”.

Você está certo, as pessoas adoram ver isso.

Mas não desse jeito.

Eu aguardo ansiosamente o dia em que as massas comecem a perceber que criar um conteúdo de qualidade não é algo fácil. E que dizer “Nós precisamos criar o melhor conteúdo possível e postar em todas nossas redes sociais” sem investir financeiramente em pessoas talentosas que possam fazer isso é o mesmo que dizer “Vamos todos tocar guitarra!” sem inscrever as pessoas em aulas de guitarra e esperar que no dia seguinte a sua página no Facebook estará cheia de vídeos de alta qualidade com toda a sua equipe tocando “Stairway to Heaven”.

 

Você quer saber o verdadeiro motivo porque você não consegue mais seguidores nas redes sociais? Mesmo postando todos os dias, você quer saber porque o seu perfil não cresce? Porque você não está fornecendo valor o suficiente para seus seguidores. Simples assim.

Vamos usar como exemplo a estrutura de um post fantástico no Instagram:

  1. Fotografia

Em primeiro lugar, se a foto não é daquelas de tirar o fôlego, ela não é boa o suficiente. Essa precisa ser sua mentalidade. Todas elas serão de tirar o fôlego? Provavelmente não. Mas esse é o padrão que você deve ter em foco. Todas as fotos são importantes e contribuem para o mosaico que você está montando. Em cada foto você está competindo contra as milhões e milhões de outras fotos que existem por aí. Pense. Prepare. Edite. Faça certo.

  1. Primeiro parágrafo

As pessoas pensam que as fotos no Instagram precisam de descrições curtas. Errado.

Fornecer. Valor. Para as pessoas. Digamos que você é um fabricante de janelas. O que é mais útil para o cliente, uma legenda que diga “Dia de sol #gratidão!” ou uma legenda que diga “A diferença entre uma janela de correr e uma de abrir é que a de correr…” e assim por diante. Ensine algo para eles. Mostre como se faz. Dê um motive para eles pararem, olharem a foto, e realmente absorver alguma informação valiosa.

  1. Segundo parágrafo: valor adicional

Você acha que acabou? Não! Depois de ensinar algo valioso pra eles, incentive-os a aprender ainda mais. Talvez você tenha postado no blog da empresa um tutorial de como instalar janelas de correr. Coloque esse link na descrição da foto e deixe claro que se a pessoas precisa de mais informações, ela pode encontrar naquele link.

  1. Promoção

No final de cada post, de forma limpa e profissional, como se fosse uma assinatura, promova de maneira sutil o seu negócio. Informe as pessoas de alguma promoção que está acontecendo, ou onde eles podem se inscrever para receber descontos, etc. É melhor fazer isso de vez em quando do que todos os dias.

  1. Hashtags

E, pra finalizar, inclua algumas hashtags relevantes para ajudar na visibilidade do seu post. Mas seja elegante e não exagere. Apenas algumas é tudo que você precisa.

 

Imagine esse nível de detalhes, todos os dias, duas vezes por dia, por um ou dois anos, sem parar.

Em uma plataforma.

É assim que você constrói uma audiência.

O problema é que 99% das pessoas não querem ter todo esse trabalho, ou contratam agências que prometem “posts diários” mas fazem pouco mais do que essa obrigação. E, ainda assim, 100% das pessoas querem mais seguidores, mais negócios, mais engajamento, mais curtidas, mais isso, aquilo, e blá, blá, blá.

Os anúncios no Facebook, em particular, são responsáveis por algo assustador. Eles levaram as pessoas a acreditar que todas essas coisas podem ser “compradas”. E, de certa maneira, elas podem.

Eu acredito que se o seu conteúdo não cresce de maneira orgânica, somente com anúncios, então esse gasto está mascarando o verdadeiro problema. O problema não está no conteúdo patrocinado: está no seu conteúdo. E conteúdo que funciona bem sem investimento em publicidade é um conteúdo que será um sucesso ainda maior com esse mesmo investimento.

Então, assim como você não usaria um flyer feito em 12 minutos pelo seu sobrinho adolescente em uma revista e depois se perguntar por que não foi um sucesso de vendas, pare de ficar sentado se perguntando por que você não consegue mais seguidores nas redes sociais sem colocar o esforço necessário na jogada.

Social media é difícil. Eu sei – Eu faço isso há muito, muito tempo.

Mas, pra ser bem honesto, as mídias sociais são apenas ferramentas.

O verdadeiro desafio é entender como ser ouvido em um mercado tão barulhento.

Como fazer isso?

Você fornece mais VALOR do que qualquer outra pessoa.

 

Texto originalmente publicado na Inc Magazine.

5 comentários sobre “Por que você não consegue mais seguidores nas redes sociais?

  1. Concordo sobre a questão de se tratar os canais sempre como uma campanha e não como algo de relacionamento. Canais que ficam abandonados após a finalização da campanha, Twitter da Dilma, WhatsCook da Helmanns…

    Porém, acho que se perde quando ele passa a indicar uma quase receita de bolo para a publicação e planejamento, quando é usado o formato de ~post matador do instagram~ por exemplo ou a quantidade de postagens que se deve fazer.
    Acho que o formato é parte fundamental do conteúdo e se não houver uma riqueza e inovação no formato também esse conteúdo será esquecido pelo usuário.

    Tem algumas perguntas que gosto de fazer sempre que vou produzir/divulgar qualquer conteúdo (nem sempre tem respostas, mas é melhor quando tem).
    _O que vai mudar para quem ler?
    _Por que ele vai passar para outra pessoa?
    _Responde a pergunta que o leitor esta fazendo?
    _O que espero que ele faça depois de ler?

    São meus 5 centavos e não sou nem de perto um especialista em conteúdo 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *