Quero escrever um livro

“Quero escrever um livro mas não sei por onde começar!” é a dúvida de muitos. E a resposta? Pelo começo, é claro.

Parece óbvio, não? Mas uma das maiores dificuldades que os potenciais escritores relatam é o “conseguir se organizar”. Organizar as ideias, organizar o tempo. E isso é o começo de tudo.

Organizar as ideias não é um talento, mas um processo. E não, não é um processo fácil. De início você vai ficar animado com aquela ideia, e talvez sua ideia até já tenha começo, meio e fim. Talvez não. De um jeito ou de outro, na hora em que você encarar a folha branca, a ideia não parecerá mais tão genial, as palavras vão fugir da mente, e é possível que você desanime e engavete o projeto.

Porque encarar a folha branca é encarar a realidade de que nenhuma boa ideia é boa por si só. Ela requer capítulos, estrutura, personagens verossímeis, ritmo, e, sim, pesquisa – uma palavra que assusta muita gente, trazendo à tona momentos agonizantes da vida escolar e acadêmica.

Quero escrever um livro pessoa digitando no notebook

Aliás, quando se fala em pesquisa pode surgir a dúvida da licença poética.

Não vamos confundir as coisas.

A pesquisa é importante, mas não para rechear seu livro com dados da Wikipédia, transformando-o numa leitura sem imaginação. A pesquisa serve pra te dar um norte. E, afinal, isso não ajudaria (e muito) a organizar suas ideias?

O problema é que as pessoas têm pressa, impaciência. Algumas chegam a pensar que podem incorporar um escritor como os que aparecem nos filmes, escrevendo e imprimindo o primeiro esboço do livro numa sentada. Isso é uma utopia das grandes.

Se a pesquisa vai ser densa ou não, depende sobre o que você vai escrever, mas ela não precisa ser chata. Infelizmente não há um único tipo de pesquisa que vá cobrir todas as suas necessidades, e, por favor, não se limite a consultar o Google. Se pretende escrever uma história com zumbis, por exemplo, leia vários livros de zumbis, assista documentários (daqueles sem pé nem cabeça mesmo).

Permita-se explorar o tema sob diferentes perspectivas.

Ok, você então se aprofundou no assunto, fez anotações, e nesse ponto está com as ideias organizadas. É aí que começa o dilema do tempo para escrever. Tempo que você “não tem”. Sim, é muito fácil culpar o tempo pelas coisas que deixamos de fazer – é na “falta de tempo” que mora a promessa da academia, frequentada uma só vez, apesar do plano semestral pago.

Dizem que tempo não se tem, se faz. E não é verdade? Geralmente conseguimos tempo para as coisas que nos agradam. Por outro lado, existem as coisas que nos interessam, e essas, na mesma intensidade, nos assustam. Os nossos sonhos se encaixam nessa categoria.

Dar o pontapé inicial em um sonho requer driblar inseguranças do tipo “e se eu não for bom o bastante?”, e é aí que a falta de tempo cai como uma luva, uma desculpa plausível de por que adiar…

Até quando?

Quero escrever um livro máquina de escrever

Mas digamos que você caiu na real, cansou de deixar pra depois, e só quer saber quantas horas por dia precisará investir para escrever seu livro. Pense de novo. A pergunta certa é quantas horas você consegue fazer para isso. 1 hora? 4 horas? 6 horas? Não existe uma receita. O que você conseguir será suficiente.

Mesmo assim, no começo vai ser difícil. Frustrante. Talvez a 1 hora que você reservou lhe renda um único parágrafo. Calma, com o tempo vai ficando mais fácil.

Não se sabote determinando metas irrealistas: preciso escrever X páginas por dia porque tal autor faz assim. Stephen King escreve muitos livros por ano, George R. R. Martin pode levar anos numa única obra. Quem pode dizer que um é melhor que o outro?

Também não seja perfeccionista, relendo e retrabalhando o que já escreveu, às vezes sem conseguir sair de uma página por dias. Apenas escreva. Escreva o que vier à mente, da forma que vier. Ainda que não seja bom, ou que não esteja gramaticalmente impecável, quando você terminar de escrever tudo terá praticado bastante, e é justamente essa prática que vai facilitar na hora de revisar e aprimorar o material. E lembre-se: escreva para si mesmo, depois revise para o mundo, nunca o contrário.

O mais importante é que se quer escrever um livro, você consegue sim se organizar, bastam algumas atitudes e a iniciativa para tomá-las. Porque no fim das contas, se você quer escrever um livro, você deve escrevê-lo, não ficar pensando a respeito… mas ter lido esse texto já é um começo!

2 comentários sobre “Quero escrever um livro! Por onde começar?

  1. Ja dizia o velho ditado: “quem quer fazer alguma coisa arruma um meio. Quem não quer fazer nada arruma uma desculpa”. 🙂

  2. Nossa, Maria gostei bastante aliás vou mandar um esboço de uma história para vc por email e vc me responde com seu olhar de escritora, tá?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *